Assembleia unificada vota pela rejeição ao Future-se

IMG_1422

No fim da tarde do dia 28 de agosto, quarta-feira, estudantes, docentes e TAEs se reuniram no largo do planetário para deliberar sobre o Future-se e demais legislações que promovem o desmonte do ensino público. Estiveram presentes muitos estudantes, além de TAEs e professores que votaram pela rejeição total do projeto apresentado pelo governo.

Após um breve momento de fala das entidades presentes (ATENS, DCE, Sedufsm, Assufsm e APG), representantes de diversos Diretórios Acadêmicos e também de alunos utilizaram o espaço para falas.IMG_1418

Sedufsm, Associação de Pós-Graduandos (APG), DCE e UNE informaram que suas bases rejeitaram completamente o Future-se, assim como a ATENS. Assufsm reforçou sua posição contrária ao projeto do governo e também ressaltou que decretos têm dificultado a atuação dos sindicatos e alertou para a redução de carga horária dos TAEs.

Em seu momento de fala, Clóvis Senger, presidente da ATENS/UFSM reafirmou a falácia da falta de recursos para a educação, citando as cifras de arrecadação de impostos e o valor de 40% do orçamento nacional que vai para os bancos como pagamento de uma dívida pública nunca auditada.

“As universidades foram construídas pelos impostos da população e é a elas que essas instituições pertencem. Não podemos pegar essa estrutura e entregar ao setor privado. As universidades são patrimônio do povo. Não há o que negociar dentro do Future-se” disse Clóvis durante a assembleia. No total, já são 12 universidades contrárias ao Future-se em todo o Brasil.

O DCE lembrou que o projeto proposto pelo governo atinge rapidamente os estudantes mais pobres, pois não versa sobre assistência estudantil. Outro ponto ressaltado é sobre as métricas que serão usadas para medir a produtividade de trabalhos das áreas de humanas, por exemplo, e as de melhor aluno. Ainda, o DCE ressaltou que para conseguir recursos, as universidades poderão passar a cobrar mensalidades.

IMG_1432Representantes dos DAs e estudantes sugeriram atividades de mobilização conjunta no dia 07/09, como aulas públicas para informar a comunidade sobre o Future-se, mais uma edição do Balbúrdia na Praça e atos unificados.

Conforme o presidente da ATENS/UFSM, Clóvis Senger, a assembleia foi um espaço importante para esclarecimento e informação sobre o Future-se e, principalmente, para mobilização.