III Encontro Nacional da Educação inicia nesta sexta, 15

Plenária (1)

A etapa regional do III Encontro Nacional de Educação (ENE) acontece nos próximos dias 15 e 16 de junho (próximas sexta e sábado) na Escola Estadual de Nível Médio Cilon Rosa. O evento precede as etapas estadual e nacional do ENE e seleciona pautas e debates que serão levados adiantes nesses níveis. Este ano, o tema do Encontro é “Resistir para existir: por uma educação classista e democrática”.

A abertura ocorre às 19h com mesa redonda sobre o assunto “Projeto atual de educação: o que temos (BNCC) e o que queremos (classista e democrático). As professoras Gelta Terezinha Ramos Xavier (Universidade Federal Fluminense) e Helenise Sangoi (UFSM) serão as convidadas da mesa, que ocorre após o credenciamento às 17h30.

No sábado seguem os Grupos Temáticos (GTs) pela manhã com plenária dos GTs à tarde. São quatro eixos de debate:

  1. Acesso e Permanência;
  2. Terceirização, Mercantilização, Gestão e Financiamento;
  3. Opressões: gênero, sexualidade, orientação sexual, questões étnico-raciais e pessoas com deficiência;
  4.  Trabalho, Precarização e Formação.

Haverá um momento cultural com a Cia de Dança Resistir para Existir e tradutoras de libras durante todo o evento para inclusão de pessoas surdas/mudas nos debates. O almoço, no sábado, será gratuito, precisando os participantes apenas levarem os talheres e efetuarem a inscrição previamente (para poderem saber o número de refeições).

As inscrições podem ser feitas neste link: http://bit.ly/InscIIIENE

O que é o ENE?IMG-20180531-WA0029

O ENE é um evento que reúne educadores, estudantes e movimentos sociais brasileiros em nível nacional. De caráter autônomo, o Encontro tem como objetivo principal lançar reflexões sobre o atual cenário da educação brasileira, reservando um olhar crítico ao projeto educacional vigente no país, que se por um lado reserva um baixíssimo investimento público para escolas, universidades, estudantes e professores, por outro aplica, praticamente na literalidade, as diretrizes educacionais advindas de organismos internacionais como Banco Mundial e Fundo Monetário Internacional (FMI).

E essas diretrizes tendem a primar por conteúdos tecnicistas e uma consequente diminuição da carga horária reservada às disciplinas de caráter social e humano; ao mesmo tempo em que estimulam o avanço do setor privado na educação, convertendo escolas e universidades em verdadeiras empresas regidas pelo lucro. (Com informações da Sedufsm)

Organizadores

ATENS (Seção Sindical dos Técnicos de Nível Superior da UFSM), Sinasefe (Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica) Santa Maria, Sindicaixa (Sindicato dos Servidores da antiga Caixa Estadual), Alicerce, Sedufsm, Regional RS do ANDES-SN, CSP-Conlutas, Oposição ao Cpers, Juventude do PSol, e Diretório Acadêmico da Educação Física e Dança/UFSM.