Aposentados sofrerão perdas salariais

IMG_6252

Um grande número de aposentados (as) da UFSM compareceu na reunião desta quinta-feira, 25, com o reitor Paulo Burmann, para tratar do reenquadramento dos inativos e pensionistas. Conforme o reitor, “é com dificuldade e sentimento de tristeza que teremos que fazer isso, pois à Universidade não cabe contestar as decisões da justiça, apenas nos adequar”.

Em discussão, os presentes argumentaram que a decisão da justiça feria a autonomia universitária, já que a progressão do enquadramento dos aposentados foi uma decisão do Conselho Universitário. A Justiça Federal, porém, questiona isso. Um processo para a manutenção desta decisão da UFSM foi iniciado e hoje aguarda decisão do STJ.

A Comissão Interna de Supervisão (CIS) entregou ao reitor um memorando, no qual pede a manutenção do reposicionamento de aposentados, a suspensão de quaisquer cortes na folha e que o reitor seja a interlocução nas negociações da carreira PCCTAE.

Diante de críticas feitas por representantes da Fasubra, alegando que outras universidades conseguiram manter o benefício, o reitor lembrou que outras universidades já passaram por isso em 2008 e 2015 e que todas as gestões da UFSM fizeram esforço para manter o benefício.

“O PCCTAE foi construído pela Fasubra e eles se esqueceram dos aposentados, senão isso não estaria acontecendo. Não é o reitor quem altera a folha de pagamento, mas sim o Ministério do Planejamento. A pior parte do processo vai cair sobre nós, por omissão de outros há algum tempo”, desabafou o reitor.

A Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas prestará um atendimento individual aos interessados, que podem agendar pelo telefone 3220-8102. A prévia da folha de novembro irá mostrar a situação individual de cada servidor inativo e pensionista, estando disponível a partir do dia 12 de novembro.